CONFIANÇA NA SABEDORIA INTERIOR E A ARTETERAPIA


Diariamente somos invadidos por alimentos diversos que desnutrem nosso ser como um todo. Somos invadidos por poluição visual, poluição sonora, do solo, da água, do ar e de tantos outros que nos entristecem e nos contaminam. E há um outro alimento que é o da alma , é o sexto sentido, pode-se dizer também, percepção extra sensorial, muitas vezes regulada pela espiritualidade. Esse sentido é mais apontado facilmente no âmbito feminino, diz-se ser mais aguçado nas mulheres.

Perdemos tempo olhando para o lado obscuro da força e pautando toda nossa existência em não procurarmos descobrir nossa própria história e o princípio que norteia nossa vida. Reproduzimos fielmente o que vem de fora, incorporamos como sendo nosso e assumimos como autentico, o que é pior.

Vamos mudar a direção do olhar. Agora é a hora de buscar quem realmente somos, nossos sentidos que devem andar de mãos dadas em harmonia - a direção é para dentro.

Sabemos que a Arteterapia se utiliza de criações simbólicas que expressam e representam níveis profundos e inconscientes da psique. Pode ser simplesmente terapia através da Arte (com cautela, quero dizer Arte como processo expressivo), não havendo assim, a preocupação estética e com técnicas, sendo privilegiada a possibilidade de expressão e comunicação e o resgate e ampliação de possibilidades criativas.

Muitas vezes é mais fácil ou mais cômodo olhar pra fora do que pra dentro. No período Realismo na história da arte, tendo a industrialização em auge e a ciência sendo aprendida pelo homem em sua utilização e técnicas exaltantes a ponto de dominar a natureza, o homem entende que precisa ser realista, na arte, a pintura deveria ser a representação da realidade, do mundo de maneira documental (olhar para fora), não cabia interferir na natureza, já era bela por si só, o pintor não manifestava sua expressão.

E quando começarmos a olhar para dentro e realmente “nos vermos”, escutarmos o som da orquestra “que vem de dentro”, sentir de verdade nosso ser interior e querer dar vazão a tudo isso, entre tantas terapias existentes e de valores incontestáveis, a Arteterapia se apresenta como uma importante ferramenta.

Como Arteterapeutas, nos cabe ser o fio condutor do resgate emocional nessa busca da sabedoria interior, da expressão dos sentimentos em imagens simbólicas, através do corpo, textos escritos, processos verbais, de todas as expressões que a arte pode oferecer; é proibido proibir a liberdade de criação, não se censura nada. Na Arteterapia não há feio ou bonito, certo ou errado, deixam-se os padrões externos comparativos de qualidade. Com essa nova postura que é favorecida pela Arteterapia, reduz-se o sentimento de incompetência que sempre resultam quando ocorrem as “comparações”, é o processo através da arte pelo que é mais genuíno no ser, o que vem de dentro. Quando a direção do trabalho artístico está sob o comando do inconsciente, o que prevalece é o contato com seu potencial criativo e esta voz é que será sua autoridade.