Você se considera uma pessoa curiosa?


O curioso não tem nada a ver com fofoqueiro: aquele que se mete nas conversas ou que não se aguenta quando alguém diz “tenho um negócio pra te contar”.

Uma pessoa curiosa explora tudo ao seu redor e vai agregando novas informações àquelas que já possui.

A curiosidade faz parte do instinto humano. É o desejo que nós temos de entender aquilo que não conhecemos. É uma característica essencial para nos levar além daquilo que já sabemos.

Porém, desde os tempos primórdios, a curiosidade é vista como algo negativo. Porque ser curioso significa confrontar/duvidar, não se conformar com respostas prontas e muitas vezes nos leva a experimentar caminhos diferentes.

Pandora quando abriu a caixa liberando os males para o mundo ou Adão e Eva quando comeram a maçã e foram expulsos do paraíso são exemplos de que a curiosidade seguiu caminhos indesejáveis. Aprendemos com isso que ser curioso é não aceitar aquilo que é imposto e isso, na época, não era nada bom!

Mas, no finalzinho da idade média, com o Humanismo, é que os conceitos clássicos e autoritários passaram a ser questionados. E hoje, os modelos educacionais estão se adaptando a essa nova realidade. Hoje, entendemos a importância da curiosidade que, assim como a criatividade, nos tira da zona de conforto. Ambas (curiosidade e criatividade) somadas à IMAGINAÇÃO são pilares importantes para se ter êxito nos diversos projetos. É um trio inseparável.

O que seria da espécie humana se não fossem os curiosos?! As maiores invenções surgiram da mera experimentação. Então, podemos entender que a curiosidade é a chave para a evolução da humanidade.

E assim como a criatividade, a curiosidade também é uma habilidade que pode ser treinada. Por isso, seguem algumas dicas:

Leia muito e sobre tudo. Vá além da simples leitura. Busque novas informações, pesquise sobre o tema da leitura.

Faça uma lista de coisas a aprender ou conhecer. Leonardo da Vinci tinha uma lista de pessoas com quem gostaria de conversar, lugares que queria conhecer... Não é à toa que ele vivia séculos à frente do seu tempo. Sempre que uma curiosidade surgir, anote e pesquise sobre isso depois. Sua própria lista vai torna-lo ainda mais curioso.

Viaje. Mas se não puder viajar fisicamente, viaje na sua imaginação, pesquise sobre lugares e culturas diferentes.

Faça mais perguntas. Não tenha vergonha de não saber. Pergunte!

Esteja atento a tudo e todos. Converse com as pessoas ao seu redor e se interesse por suas histórias. Sempre temos algo a aprender com o outro.

Fuja de hábitos e rotinas. Algumas rotinas até são importante, mas bagunce as coisas de vez em quando. Seguir um caminho diferente para o trabalho, por exemplo, vai te fazer perceber coisas que talvez você não conhecesse. Sair da rotina significa fazer diferente!

Não fique apenas olhando pelo buraco da fechadura. Siga seu instinto e abra a porta. Atrás dela tem um mundo inteiro de possibilidades.

Andréa Segal é Pedagoga, Terapeuta Integrativa, Artesã

e Estudante de Arteterapia.

e-mail: dricasegal@gmail.com


Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square